segunda-feira, 1 de abril de 2013

Em erupção...Vulcões professores esquentam a cidade do Carpina no dia desta segunda-feira

Na manhã desta segunda-feira(01/04), professores da cidade prometem no sentido figurado claro, pôr fogo na cidade, estão em polvorosa para reivindicar a restituição de suas gratificações que foram cortadas. Alguns professores tiveram disfalque de quase R$1.000,00.

1º Á partir das 9:00h da manhã de hoje professores estarão se concentrando na sede do SINSEMUC, que é o sindicato dos professores. O Presidente atual do sindicato, Sr. Antônio Lopes, disse que espera até esse horário  que o prefeito Carlinhos do Moinho reveja sua atitude e afirmou que será um ato de nobreza.

2º Outro manifesto sairá do Parque de Eventos da cidade até o MP, porém o presidente do SINSEMUC disse que é um movimento político feito pelos de oposição ao atual governo e que não comunga com tal atitude. Ele revelou ainda que há um carro de som anunciando esse manifesto e que o locutor do mesmo, na gestão passada quando procurado pela categoria dos professores se recusou a ajudá-los alegando que não poderia se posicionar contra o então prefeito Manuel Severino da Silva. Obs.: Falando em movimentos políticos, na última sexta-feira vereador da oposição que não se manifestavam em defeza da categoria e até era contra o pagamento das gratificações, estava fazendo moitim com os professores na frente da Caixa Econômica.

3º A professora Maria das Mercês Silveira, ex-presidente do SINSEMUC, irá se encontrar hoje com o prefeito Carlinhos do Moinho e tudo indica que para entregar a sua carta de renúncia. A mesma assumiu uma pasta no atual governo, mas desde o início afirmou que não se calaria diante de arbitrariedades que acontecessem atingindo sua classe. A professora afirmou que se sentiu desconsiderada pela atual gestão e que inclusive tiraram 50% da gratificação no exercício da docência, ela afirma que desde março de 1998 os professores adquiriram essa estabilidade.
Emocionada a professora disse ainda que entre o salário da prefeitura e o de professora ópta pelo de professora porque será professora até a morte. Magoada afirmou que vem sendo criticada por um colega da categoria, que trabalha no atual governo e que está calado pois optou pelo salário de secretário.

Bem, há quem diga, aliás muitos dizem que manter a professora com uma pasta no atual governo, seria uma estratégia da atual administração. Parece que não deu certo. A professora está do lado da categoria até os dentes.
Os vereadores Tota Barreto e Professor Rogério afirmaram que os professores não tinham com o que se preocupar, afirmando que direito adquirido não se mexia . Diante de tudo isso qual seriam as palavras deles?

Logo mais, mais informações sobre o desenrolar da história

Nenhum comentário:

Postar um comentário