quarta-feira, 22 de abril de 2015

Solidariedade: Bebê que nasceu sem sexo precisa de doação de materiais para curativo. Saiba como ajudar.


Você já deve conhecer essa fofura de criança. Trata-se do bebê que nasceu sem órgão genital e sem o ânus e mora em Carpina. Filho de pai desconhecido, sua mãe biológica é dependente químico e entregou o menino que provavelmente nasceu com essa má formação devido ao seu vício, aos cuidados de um casal que ainda são seus parentes. Desde então sua mãe adotiva dona Lígia e seu pai tem enfrentado uma maratona para conseguir tratamento adequado para a criança que nasceu no Imipe e desde então vinha recebendo acompanhamento no referido hospital. Com a repercussão do caso, a diretoria do hospital Português, também na capital, se sensibilizou com a história do pequeno e se ofereceu para acompanhar o caso. A mãe adotiva do menino que já está com tudo se encaminhando para adquirir a guarda definitiva do bebê disse que a primeira cirurgia a ser realizada é a de duas hérnias, em seguida a do intestino que requer maior complexidade, e a última a do sexo.

Em relação ao transporte para se deslocar até a capital a cada consulta, dona Lígia que como seu esposo é catadora de material reciclável, disse que agora a prefeitura tem dado o apoio necessário. A mesma disse que desde que pegou a criança com 4 meses de vida corre atrás de apoio e há pouco recebeu a visita do então secretário de saúde Dr. Nonato, da secretária de ação social, Lidiane Alves, e da primeira dama Alberice Mendes. O menino agora tem 1 ano e um mês.

Fora isso, dona Lígia que mora em uma humilde casa de aluguel, sem forro, com piso de cimento e esburacado, disse que estará se mudando em breve para uma casa melhor, com o apoio da prefeitura e de mais alguém o qual preferiu não revelar, que se comprometeu em ajudar no aluguel.

Com quase tudo praticamente encaminhado a mãe do pequeno e simpático Davi disse que por enquanto não precisa mais de fraldas e nem de leite, mas tem gastado muito com o curativo da criança que precisa ser feito de três em três horas ou mesmo antes se o bebê fizer suas necessidades. A mesma diz que aceita doações de quem puder ajudar. O curativo é feito com lenços umedecidos comuns, gaze, e a pomada Nistantina + Óxido de Zinco que foi a única que a criança se adaptou. Com a falta da pomada, a abertura que a criança tem no baixo ventre, sangra, infecciona e obviamente dói. Um tubo da pomada tem 60g e nós a encontramos por um preço bem em conta na Farmácia do Trabalhador por R$ 11,00 do laboratório EMS. Mas não se esqueça, se você puder ajudar, que além da pomada, ele precisa de gaze e lenço umedecido, então qualquer um deles será bem vindo.



Você pode deixar esses materiais na Rádio Alternativa por trás da Igreja Matriz de São José em Carpina de domingo a sexta-feira das 12:00h ás 14:00h, pois sábado estaremos voltando a casa do menino para mais uma visita e levando os materiais arrecadados.

*Agradecimentos aqueles que já doaram através do nosso apelo no rádio

Um comentário: