segunda-feira, 21 de julho de 2014

Entrevista - João Paulo: “vamos vencer no primeiro turno”



Em entrevista à Rádio JC News, o candidato ao Senado relembra sua trajetória política de 44 anos e aposta na vitória de Dilma e Armando

O deputado federal João Paulo (PT), candidato ao Senado pela coligação “Pernambuco Vai Mais Longe”, enumerou nesta segunda-feira (21), em entrevista à Rádio JC News, alguns objetivos de sua candidatura, destacando a defesa do Governo Dilma, a reforma política e o reforço da parceira do Estado com o governo federal.

O candidato petista também ressaltou suas ações na Prefeitura do Recife, defendeu a candidatura de Armando Monteiro Neto (PTB) para governador, recordou seus tempos de militância nos movimentos populares e enfatizou a importância de Pernambuco ter três senadores alinhados com o governo federal. Para João Paulo, Dilma e Armando tem amplas possibilidades de vencer a eleição no primeiro turno: Alguns trechos da entrevista:

Candidatura - Tenho trajetória política de 44 anos. Participei do movimento de igreja, depois fui dirigente sindical, presidente do Sindicato dos Metalúrgicos, presidente de associação de moradores, primeiro vereador do PT, três vezes deputado estadual e cumpri dois mandatos de prefeito, sendo o primeiro operário a governar a cidade do Recife. Também fui o deputado federal mais votado do PT do Brasil e acredito na teoria de que Pernambuco deveria ter três senadores que pudessem defender o governo da presidente Dilma. Sabemos que Pernambuco cresceu muito e até mais do que outros estados do Nordeste, graças à parceria com o Governo Federal, com apoio de Lula e Dilma. Com três senadores defendendo os interesses de Pernambuco, vamos ter uma relação maior com governo federal, com o intuito de facilitar os grandes projetos. Pernambuco deu um passo significativo e precisa dar outro - e dará com Armando Monteiro.   

Gestão Prefeitura - O que é que há de novo no Recife fora o que construímos na nossa gestão? Fizemos o Parque Dona Lindu, retiramos as palafitas de Brasília Teimosa e da Torre, construímos a paralela de Caxangá e recuperamos as orlas de Boa Viagem e do Pina. Além disso, tivemos o trabalho nos morros na cidade e a criação de uma Secretaria e uma Autarquia na área de saneamento, erradicação dos casos de filariose, o SAMU, as Academias da Cidade e o Canal do Cavoco. E o que fizéssemos pela cultura no Recife e em Pernambuco? O Carnaval Multicultural e descentralizado. Foi um governo aberto ao diálogo com todos os setores da cidade.

Fernando Bezerra Coelho - Ele não vem convencendo o eleitorado pernambucano. Tem uma grande rejeição na Região Metropolitana do Recife e, sem dúvidas, o que ele quer é uma polarização para ver se começa crescer. Eu estou preparado para debater com ele em todas as áreas. Mas tudo tem um tempo. Neste momento, eu estou organizando minha campanha, minhas equipes e me estruturando no Interior.  Vamos fazer uma grande campanha em Petrolina com o apoio do prefeito Júlio Lóssio (PMDB) e com O ex-prefeito Odacy Amorim (PT), que tem grande aprovação na cidade. Temos ainda a nossa primeira suplente de senador, Isabel Cristina. Vamos botar para torar naquela região.

Reforma Política - Há um tipo de política que a sociedade e a juventude não aceita mais. Há uma necessidade, por trás deste movimento todo, de uma reforma política, com uma Constituinte exclusiva. Sou membro de uma Comissão de Reforma Política da Câmara. Ali, não passa nada de inovador, nada que venha a modificar a política no Brasil. Por isso, nós, do PT, estamos defendendo uma Constituinte exclusiva, com financiamento pública de campanha, que é uma forma de combater as irregularidades e a corrupção durante o período de campanha.

Eduardo Campos - Como resultado da sua inserção da nacional, ele vem sempre patinando nessa faixa de 7% ou 8%. Isso na verdade é a avaliação de Pernambuco sobre o candidato dele no Estado.

Economia - Dilma vem sendo vítima de duros ataques. Eu diria que o Governo de Dilma é muito mais forte que o governo de Getúlio Vargas, que muitos trabalhadores e parte dos movimentos sindicais chamam de “o pai dos pobres”; ela foi a “mãe dos pobres”. Dilma deu continuidade ao governo Lula e o ampliou. O povo já sinalizou que não quer uma mudança.

Armando Monteiro - O povo vai escolher Armando Monteiro para dar continuidade às coisas acertadas no governo do Estado, inclusive, o mais importante, que é essa parceria com o governo federal. Armando é continuidade com melhoramento.

Marília Arraes - Marília é uma jovem liderança. Uma vereadora com a qual eu sempre tive um excelente relacionamento. Ela tem questionamento ao processo interno do partido e o fez publicamente por achar que a prática política conduzida pelo PSB não é uma prática que o ex-governador Arraes e o histórico PSB faria. Divergiu. A dissidência dela é um marco na eleição.

Dilma e Lula em PE - A presença de Dilma e Lula sempre reforça qualquer palanque. E têm muitas pessoas que votam com o apoio deles. Mas Armando e eu temos história e conquistamos muitas coisas por meio dos nossos próprios esforços. Dilma e Lula virão como reforço. Aliás, excelente reforço. E temos a compreensão de que a parceira com Dilma é fundamental para o futuro de Pernambuco. Eu vi o que foi ser prefeito do Recife em dois anos com FHC; não chegava nada aqui. Eu acredito que nós temos tudo para fazer uma grande campanha e vencer no primeiro turno.  
Description: https://ssl.gstatic.com/ui/v1/icons/mail/images/cleardot.gif


Assessoria

Nenhum comentário:

Postar um comentário