segunda-feira, 1 de junho de 2015

Fórum debate ações para frear epidemia de acidentes com motos em Pernambuco

Resultado de imagem para acidentes de moto fatais

Os instrutores do Centro de Treinamento Honda fazem palestras educativas e mostram que o alto índice de acidentes se deve também à falta de instrução sobre a pilotagem correta

Preocupado com milhares de vítimas envolvidas em acidentes com motocicletas no Estado, o projeto Moto Amiga, em parceria com o Comitê Estadual de Prevenção aos Acidentes de Moto (Cepam-PE), desenvolveu mais uma ação com o objetivo de salvar vidas no trânsito e diminuir acidentes com motocicletas em Pernambuco: o III Fórum de Mobilização para Prevenção dos Acidentes de Moto. O evento, realizado na última sexta-feira (29), na Secretaria Estadual de Saúde (SES), deve ser repetido por mais seis vezes nas regiões do Estado e serviu para desenvolver ações preventivas, educacionais e de fiscalização para diminuir os acidentes com motos.

Durante o momento em que foram discutidas as ações de prevenção aos acidentes de moto, o diretor do Moto Amiga, Marcelo Sadi, e o diretor de trânsito e transportes da Destra Caruaru, Alex Monteiro, formaram a mesa junto com o coordenador executivo da Lei Seca, tenente-coronel André Cavalcanti e o coordenador executivo do Cepam-PE, João Veiga, para discussão de propostas de fiscalização e educação.

"Há 30 anos a Honda iniciou o processo de criação dos Centros de Treinamento gratuito, onde orientamos e capacitamos os motociclistas sobre a direção defensiva. Mas ainda existe rejeição por parte dos condutores. Temos que mudar essa perspectiva. Para isso, vamos levar o Fórum sobre acidentes de moto para todas as regiões de Pernambuco", propõe Sadi. "Para ter uma ideia, nós oferecemos todos os cursos gratuitos de pilotagem nos centros de treinamento dos estados de Pernambuco, São Paulo e Amazonas. Mas somente 5% dos usuários utilizam e procuram as nossas instruções", ressalta o diretor do Moto Amiga.

Durante a palavra, o diretor da Destra Caruaru apresentou o 'Case' da cidade sobre o emplacamento das motos de 50cc, também conhecidas como 'cinquentinhas'. De acordo com Alex Monteiro, desde que o município decidiu intervir no abuso das cinquentinhas, com ações legislativas de regulamentação e fiscalização, houve uma visível redução na violência causada pelos acidentes em duas rodas. "A sociedade aprova a iniciativa. Sem o emplacamento e a devida identificação das 50cc, há também possibilidade do veiculo ser usado para cometer delitos", argumenta Monteiro. O projeto Moto Amiga é parceiro da Destra e do Cepam no programa de regulamentação das cinquentinhas em Caruaru e trabalha para que a iniciativa seja adotada por outras cidades de Pernambuco.

Ainda durante o fórum, o médico e coordenador executivo do Cepam, João Veiga, proferiu sobre a necessidade de promover ações de fiscalização realizadas por todos os órgãos envolvidos na mobilização para prevenção de acidentes com motocicletas. "O País gasta R$ 40 bilhões com acidentes de trânsito, por ano. Em Pernambuco se gastou R$ 1,3 bilhão, em 2014, durante os serviços de pré-atendimento (Samu), internamento hospitalar e pós-tratamento", argumentou. "Existe uma preocupação do Governo do Estado. E a diferença para mudar o quadro atual deve ser feita com fiscalização", condiciona Veiga.

Criada pela Honda a pouco mais de dois anos, o projeto Moto Amiga trabalha para reduzir o alto índice de acidentes com motos no Brasil. Os instrutores do Centro de Treinamento Honda procuram fazer palestras educativas e mostrar que o alto índice de acidentes se deve também à falta de instrução sobre a pilotagem correta.

Por Pedro Romero

Nenhum comentário:

Postar um comentário