quinta-feira, 7 de março de 2013

Quem será o principal culpado pela destruição de uma família em uma traição conjugal? Será mesmo a outra(o)?



O maior responsável pela destruição de uma família por traição é aquele que dividiu a vida com você
Dia desses testemunhei uma filha magoada e revoltada com a traíção conjugal de seu pai a sua mãe numa rede social. A revolta não só dela mas de toda família sobrecaiu em cima da invasora da história conhecida popularmente como a outra. Você que está lendo este artigo já deve ter tomado conhecimento ou de repente até ter vivido uma situação parecida.
Se você vive uma situação como essa pare e pondere. Seja racional e não se faça de tôla para não cair no ridículo e pare de culpar apenas a intrusa(o).
Afinal de contas quem mais lhe devia fidelidade e ao restante da família era aquele(a) que morava ou talvez ainda more dentro do seu lar, que um dia firmou uma aliança de compromisso e fidelidade com toda a família, até mesmo aqueles que ainda nem haviam nascido.
Dessa pessoa sim houve a maior falha de caráter, a maior traição.
A traição é ainda mais dolorosa quando é dupla: Conjugue e amiga
 Sem querer aqui jamais tirar a culpa da intrusa(o), principalmente quando esta era íntima da família. Imagino como deve ser duro, dolorosíssimo ter uma pessoa em sua casa como amiga(o), confidente, comendo do seu pirão e depois ser apunhalada pelas costas. Mas repito, fica feio querer tampar o sol com a peneira, portanto, se você não gostar de pagar mico, pare de crucificar a intrusa(o), ou então seja realista e crucifique os dois, porque quem de fato viveu uma vida com você, quem mais comeu da mesma comida que você, quem mais lhe devia amizade e fidelidade é aquela que um dia firmou compromisso de família com você e os seus.
E convenhamos, que independente de quem devia mais a quem, todos são adultos e seu pai, esposo(a), ou sei lá o que, não foi obrigado(a) a absolutamente nada. É muita falta de noção ficar agindo como se ele(a), fosse uma criança ou no mínimo um retardado que tivesse sido obrigado(amarrado) a tomar tal atitude de quebrar uma aliança e desconsiderar toda uma história indo para a cama de outra mulher. A culpa principal pela lógica é dele(a)!!! Ou você perdoa á todos(mas lembre-se que perdoar não é esquecer e dar a mesma confiança), ou então anula esse papel insano que te expõe ao ridículo e ao mais baixo nível de ficar crucificando um e exaltando o maior vilão(ã) da história.
E uma dica para você que é a esposa oficial: Se ele quis ir deixe...Deixe ele ir e fazer bom proveito. Certamente você merece coisa muito superior.  Agora fazer questão de ficar mostrando para a sociedade que ainda vive uma história com aquele que te expôs e escolheu viver com outra é humilhante demais! Afinal de contas, inverter os papéis e de esposa passar a ser amante é degradante...
E a você que faz o papel da outra que agora é esposa para a sociedade, vai nessa força! Todos respondem por seus atos. A escolha foi de ambos: sua e dele. Não desista! Assuma seu lugar! Afinal, hoje você vive uma vida em comum, construiu uma família, repito, por escolha de ambos e tem que ser respeitada!
Uma dica para todos os envolvidos: Que ele(a), que foi o grande causador do rebuliço tome uma atitude de autoridade e se defina em vez de ficar bancando o gostosão do pedaço.Ficar tirando o corpo fora e deixar as pessoas que ele magoou se engalfinhando não é nada nobre. É muito ibope hein...
Consolo? A vida dá voltas, cedo ou tarde, aqui se faz, aqui se paga.
Fica á dica
Falando Francamente,
Danielle Nurse.

Nenhum comentário:

Postar um comentário