quinta-feira, 7 de março de 2013

Denarc realiza a maior apreensão de pasta-base de cocaína do ano

 /  


O Departamento de Repressão ao Narcotráfico (Denarc) realizou, na noite dessa terça-feira (05), a maior apreensão de pasta-base de cocaína em 2013. Foram 15 quilos da droga, que se transformariam em 180 mil pedras de crack. Cinco prisões foram realizadas no estacionamento do Shopping Tacaruna e na residência de um dos acusados no bairro de Jardim Atlântico, Olinda. Além disso, R$ 4 mil, e 10 munições calibre 38 estavam com o grupo. O delegado João Leonardo Cavalcanti explicou, na coletiva de imprensa realizada nesta quarta-feira (06) na sede do Denarc, como ocorreu a ação da polícia.
"Recebemos a informação de que nosso alvo, Alex Sandro Casturino, compareceria em Jardim Atlântico para pegar dois quilos de pasta-base de cocaína. Vimos que ele entregou um pacote a um motoqueiro. Dividimos a equipe em duas. Seguimos o motoqueiro até sua casa e o carro até o shopping Tacaruna. Eles voltaram a se encontrar depois que anoiteceu. O motoqueiro havia ido pegar 2kg da droga em casa e iria fazer a entrega. Foi quando realizamos o flagrante", revelou o delegado.


As investigações começaram há 30 dias, no encalço de Alex Sandro, 33 anos, suspeito de ser traficante de drogas de médio porte no município de Vitória de Santo Antão, Zona da Mata Sul de Pernambuco. A polícia disse que, inicialmente, não fazia parte do objetivo prender os fornecedores da droga, identificados como o motoqueiro, Ivaldo Santos Menzes Guimarães, o "Juninho", 31, e a mulher dele, Fernanda Marcela de Oliveira Praxedes, 32. No carro de Alex, um gol cinza com placa de Vitória, estavam Luciana da Silva Martins, 20, e Gilmar Dias da Silva, 30. Todos serão atuados por tráfico de drogas e associação ao tráfico. Para Ivaldo, ainda pesa a acusação de porte ilegal de munição.
"Posteriormente, voltamos à casa de Ivaldo e descobrimos 13 quilos estocados lá", disse João Leonardo. Ivaldo e Alex já haviam sido presos por tráfico de drogas, mas os outros três não possuíam antecedentes criminais. A  polícia suspeita que os 13 quilos seriam distribuídos para todas as comunidades de Olinda, enquanto os dois quilos negociados iriam para Vitória de Santo Antão. O delegado ainda afirmou que a procedência da cocaína vinha de um país vizinho: a Bolívia.
Pernambuco.com


Nenhum comentário:

Postar um comentário