domingo, 27 de novembro de 2016

Haja coração viu? Motoboy arrisca a vida por um gato, "Fiz tudo no impulso"- disse.



Uma atitude inconsequente, pois em vez de uma morte poderiam ter sido duas. A do felino e a dele. Resgate sem o mínimo de segurança, é preciso sensatez, mas ao mesmo tempo uma atitude heroica, o lado humano sensível a vida, falou mais alto. Que Deus proteja e prolongue os dias de vida desse rapaz pois o mundo precisa. Dani Nurse




Acabei de presenciar uma cena de loucura e ao mesmo tempo de heroísmo. Um gato que estava preso do lado de fora do apartamento no terceiro andar de um prédio em Canoas-RS, a mais de duas hora, e
quase caiu por diversas vezes tentando entrar pela tela de proteção, foi salvo por um motoboy, que estava passando pelo local e se dispôs a colocar sua vida em risco para ajudar.
Tentaram entrar em contato com os donos do apartamento mas não conseguiram, ligaram para os bombeiros que estavam atendendo um incêndio, por fim os vizinhos do prédio da frente juntamente com os moradores do prédio em que estava o gato decidiram tentar resgatá-lo com uma escada.
Em alguns momentos perdi o foco da imagem pela preocupação.
Por fim, o motoboy foi embora sem receber nada em troca e sem ninguém saber quem ele é.

Segue: Este é o motoboy: https://www.facebook.com/eliseu.santos.3726

Ericson Rodrigues
20 de novembro às 16:07 · Canoas, Rio Grande do Sul · 

🐱🐱🐱🐱🐱🐱🐱🐱🐱

Leiam a matéria do Diário Gaúcho que está muito boa:


Um vídeo que mostra a atitude heroica de um motoboy de Canoas viralizou nas redes sociais nesta segunda. As imagens, publicadas no Facebook, mostram o momento em que o rapaz resgata um gatinho que estava no parapeito da janela de um edifício, no Centro da cidade. Até o fim da manhã desta terça, o vídeo estava com pouco mais de três milhões de visualizações e 79 mil compartilhamentos.

Na rede social, todos queriam saber quem era o corajoso homem que arriscou a vida para salvar o animalzinho. Mas o motoboy saiu do local de mansinho, sem dizer seu nome ou telefone. Para ele, salvar aquele gatinho era um gesto normal, que qualquer pessoa deveria ter.

Eliseu Oliveira dos Santos, 24 anos, casado com a Mariana, 30 anos, pai do Keven, de dois anos, e padrasto do Luis Eduardo, de 12 anos, é o herói do Marcelino, um gatinho de apenas um ano de idade. Eliseu é motoboy há cinco meses e estava fazendo uma entrega naquela região, no domingo, quando se deparou com a situação inusitada.

— Eu vi um senhor gritando de longe que tinha um gato preso na janela. Encostei a moto e perguntei no que eu podia ajudar — relembra Eliseu.

Sem pensar muito, o motoboy já foi subindo na escada para tentar resgatar o gatinho. Segundo ele, o animal aparentava estar bastante cansado e apavorado. O gato havia feito um furo na tela e foi para o lado de fora da janela. O problema é que ele não conseguia voltar pelo mesmo buraco.

— Fiz tudo no impulso. Sei que foi uma atitude arriscada, nunca tinha subido uma escada tão alta, mas eu não podia ver o bichinho naquela situação e não fazer nada.

Motoboy teve atitude impulsiva, mas não se arrepende Foto: Arquivo Pessoal

Quando Eliseu chegou na ponta da escada, o gatinho veio em sua direção como se já soubesse que aquele seria o seu salvador. O rapaz tentou colocar o animalzinho para dentro da janela, mas não tinha como se aproximar da abertura na telinha de proteção.

— Me vi obrigado a descer com ele pela escada. Mas o gatinho ajudou muito, se abraçou em mim e não precisei segurá-lo. Eu precisava manter as mãos na escada para garantir que não iríamos cair — conta, emocionado.

No chão, embaixo deles, alguns moradores faziam uma cama com um cobertor. Queriam garantir o mínimo de proteção, caso acontecesse alguma coisa. Eles também eram os olhos de Eliseu que, na descida, não conseguia enxergar os degraus.

— Fiquei com bastante medo, porque eu segurava no parapeito da janela, mas meus pés não alcançavam o outro degrau. Então, baixei a cabeça, orei e soltei as mãos. Me desequilibrei um pouco, mas, graças a Deus, deu tudo certo. Os homens que estavam lá embaixo me ajudaram muito dando as coordenadas para eu descer.

Eliseu entregou o gatinho para o síndico e voltou a trabalhar. Ao chegar em casa, decidiu não contar para a família sobre o ocorrido, para não preocupá-los com o ato de loucura, como ele mesmo se refere.

— Sabia que a minha esposa diria que a atitude foi de um louco, que não deveria ter me arriscado. Mas na hora eu só pensava em ajudar o gatinho.

Mas o motoboy não contava com o poder das redes sociais. Logo que entrou no Facebook, o vídeo com sua proeza apareceu na sua página e foi obrigado a contar para Mariana.

— Mostrei o vídeo pra minha esposa e ela não sabia se batia em mim ou se ficava orgulhosa — conta Eliseu, aos risos.

O rapaz ainda não falou com a dona do gatinho nem reencontrou seu amigo Marcelino, mas diz que pretende fazer uma visita assim que sobrar um tempinho. Quando perguntado se repetiria o ato de bravura, a resposta foi direta:

— Encaro de novo sem pensar duas vezes.

Eliseu gosta muito de animais. Já teve gato, cachorro, hamster e porquinho da índia. Segundo o motoboy, a pior coisa é ver um animal ou uma pessoa sofrendo, sendo maltratado.

— Não gosto de maldade com ninguém. Se xingarem a minha moto já fico de cara — brinca o motoboy.

A dona do felino, Margareth Zeni, fez um post de agradecimento ao herói no Facebook:

"Quero agradecer a esse jovem herói... se alguém conseguiu pegar a placa ou conhece o rapaz por favor me contate in box. Ele salvou meu gato. .. o Marcelino é muito importante para nós. Principalmente para mim... pois eu o encontrei num período muito frágil da minha vida e ele me deu forças para superar...Obrigado menino."

Fonte: O Grito do Bicho

Nenhum comentário:

Postar um comentário