quinta-feira, 25 de setembro de 2014

Bispo Edir Macedo: O Brasil tem jeito?




Você acha possível reparar, em 52 dias, uma capital destruída e um atraso de 100 anos na nação?
Antes de responder, por favor, acompanhe a história de um simples copeiro real, que se transforma em governador e restaura Jerusalém no pós-exílio em cerca de 446 a.C.
O cativeiro babilônio havia terminado e dois grupos de judeus já haviam voltado para Israel com Zorobabel e Esdras. Reconstruíram o Templo, porém a cidade de Jerusalém, suas muralhas e portas continuavam em ruínas, por mais de 100 anos.
Ao chegar lá, Neemias só viu escombros, lixo, injustiça e miséria. Os governadores anteriores, que obtinham benefícios ilegais de seu cargo, nada faziam. Já o povo, acomodado com as circunstâncias, não conseguia reagir.
Todavia, Neemias ousou crer na possibilidade de uma nova nação sob todos os aspectos. Não apenas chorou, orou ou discursou sobre estratégias, mas arregaçou as mangas e foi à luta.
Sua liderança firme ganhou apoio, e ele trabalhou arduamente dia e noite. Buscou mudanças profundas tanto no aspecto estrutural, como social e espiritualmente. Seu caráter íntegro como copeiro continuou o mesmo ao tornar-se governador. Dizem que o poder corrompe os bons, mas a vida de Neemias prova o contrário. Ele teve liberdade, autoridade e poder, porém nunca tirou vantagens disso. Creio que essas prerrogativas apenas facilitam que se aflore a raiz ruim que já está dentro da própria pessoa.
Com 52 dias a obra foi concluída e entregue à população. A capital estava segura para ser habitada novamente. O sistema judiciário restaurado, e o Templo, com o serviço restabelecido.
Aqui no Brasil a nossa realidade não é muito diferente. Veja:
Imensidões de terras nas mãos de latifundiários que as tornam improdutivas, enquanto pequenos agricultores sonham ter um pedacinho de chão para plantar.
Temos o segundo maior rebanho bovino do mundo, e milhões de pessoas passam fome.
Temos a maior bacia hidrográfica do mundo na Região Norte, e entre sua população milhares de moradores sem água potável. Essa mesma região tem o maior tesouro do mundo, a Floresta Amazônica, mas a perde aos poucos para os predadores internacionais.
Nosso índice de analfabetismo está entre os maiores do mundo, e alguns que são contados como alfabetizados têm dificuldade para interpretar um simples texto, tamanha é a incompetência da educação oferecida.
Vemos o caos instalado no sistema de saúde pública, onde os doentes são tratados como lixo.
As cidades, com taxa de criminalidade altíssima, têm os seus piores crimes cometidos principalmente por jovens.
Além disso, o consumo de drogas está entre os mais elevados do mundo. Sem falar no sistema judiciário moroso e desforme devido a leis caducas.
Enfim, o Brasil é um gigante em sua extensão e nas desigualdades também, de Norte a Sul.
E nós, evangélicos, não podemos nos esconder orando e esperando que um milagre salve o País que moramos.
É preciso mais!
Na democracia temos a liberdade de escolher aqueles que terão o poder para mudar essa realidade.
Mas você sabe reconhecer um bom líder?
Liderança grande ou pequena, espiritual, política ou secular nunca pode ser desvinculada do seu caráter íntegro. Apenas qualificações intelectuais e profissionais não são suficientes.
Escolha quem realmente tem princípios.
Se buscarmos pelo alto padrão de Neemias, poderemos ter uma sociedade mais justa e com menos escândalos de corrupção para nos irritar.
Seja cristão, mas também cidadão neste mundo, e bem informado. Não fuja da realidade nem de suas responsabilidades sociais.
Somente nós, o sal deste mundo, podemos evitar que essa sociedade doente continue apodrecendo até a morte.
O Brasil tem jeito, se formos menos otimistas e ingênuos e mais conscientes na hora de votar!
Chega de ser o País do futuro, para atender as necessidades do povo no presente.
Nunca é fácil, mas é possível!

Vamos à luta?

  www.bispomacedo.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário