quarta-feira, 3 de setembro de 2014

Apagão em instituições municipais de Carpina gera discussão entre vereadores nesta terça

Vereadores se exaltaram na busca por culpados pelos maus momentos que vive Carpina

Carpina nesta terça-feira (2) recebeu mais uma notícia e das piores no que se refere aos deslizes da gestão Carlinhos do Moinho. Escolas tiveram aulas suspensas devido ao corte de energia. Motivo: Falta de pagamento. Além das escolas, a Biblioteca Municipal e o Mercado Público também foram agraciados pelo apagão. Vereadores estiveram visitando as instituições e fizeram da questão, principal tema da sessão ordinária, o que culminou numa retrospectiva de todos os atrapalhos da gestão entre eles o atraso do pagamento dos servidores.

O vereador Jorginho Lapa da bancada de oposição falou da visita que fez com outros parlamentares ao gabinete do prefeito e disse que aprovaram um pedido de suplementação de 5% que equivale R$5.600.000,00 (Cinco milhões e seiscentos mil reais), para que o prefeito pagasse o salário dos servidores mas o mesmo não cumpriu sua parte no acordo já que ainda existem funcionários com quase 3 meses de atraso. Ele ainda disse que perguntou ao prefeito como a cidade vai realizar uma festa gastando mais R$ 200.000,00 (duzentos mil reais) no próximo dia dez diante de tantos problemas financeiros e não obteve resposta do gestor.
O vereador ainda questionou se é verídica a história da falta de verba diante da realização da festa ostensiva. 

O vereador Dudu Izidoro da bancada de situação, disse se sentir triste e que é preciso ter pulso administrativo e que embora amigo pessoal do prefeito não muda seu posicionamento. Ele classificou o fato como uma falha absurda da gestão. Dudu Izidoro atribui as falhas administrativas a falta de capacidade da equipe da gestão e aconselhou o gestor a tomar atitudes mais severas e substituir aqueles que não estão dando conta do que lhes é atribuído. 
Semana passada o prefeito recebeu vereadores em seu gabinete e sorridente garantiu que pagaria o atrasado dos servidores naquele mesmo dia. Mas isso não aconteceu. Só alguns conseguiram receber e apenas um mês.
Ao ser perguntado por mim o que ele achou da ostensiva festa que vai acontecer já que o município não consegue nem pagar as suas contas de energia, o vereador disse que a Secretaria de Turismo age dentro da legalidade pois tem verba suficiente para isso aprovada pela própria câmara ano passado. No entanto, o parlamentar disse que se o município passa por necessidades cabe a sensibilidade da gestão fazer o remanejamento de verba para usá-la no que houver mais necessidade.

O vereador Major Marcelo disse que Carpina está morrendo.

O clima esquentou mesmo quando a vereadora Lia, colocou um requerimento verbal com um voto de repúdio ao prefeito Carlinhos do Moinho. O requerimento foi aprovado mas alguns vereadores votaram contra alegando que se o voto fosse contra a gestão e não ao prefeito votariam a favor. O alvoroço começou mesmo quando com essa justificativa a vereadora Zezé Saúde disse que isso não seria motivo para um voto de repúdio, que o problema do corte de energia acontece e é simples de ser resolvido e que no entanto o voto de repúdio não resolveria nada. A vereadora foi vaiada pelos populares que assistiam a sessão. Logo após pelo mesmo motivo iniciou-se uma discussão entre os vereadores Neco da Kombi e Lia que teria se irritado com uma colocação do vereador a seu respeito.

Essa blogueira que vos escreve não vai nem dizer de quem acha que é a grande culpa. Enquanto isso o povo carpinense vai amargando...

Nenhum comentário:

Postar um comentário