terça-feira, 19 de maio de 2015

Serviço de saúde dos servidores de Pernambuco em crise

Foto: internet


Recife – O líder da bancada de oposição na Assembleia Legislativa, deputado estadual Silvio Costa Filho (PTB), voltou a apresentar nesta terça-feira (19) um diagnóstico preocupante do Sistema de Assistência à Saúde dos Servidores do Estado (Sassepe). Em pronunciamento no plenário da Alepe, Silvio falou sobre a visita que os deputados oposicionistas realizaram ao Hospital dos Servidores do Estado (HSE), principal centro de atendimento do Sassepe no Recife, e que apresenta uma série de problemas, sobretudo a queda na qualidade do atendimento e dificuldade dos conveniados em marcar consultas e exames.

Na visita realizada ao HSE, os deputados oposicionistas tiveram oportunidade de ouvir a direção do hospital e também os representantes dos funcionários. “O ambiente é de extrema preocupação. Os gestores e servidores têm de fazer um imenso esforço diário para tentar oferecer o mínimo de atendimento decente aos usuários do sistema, tentando superar problemas como a falta de médicos, material e de funcionários para atender à demanda”, expôs Silvio Costa Filho.

Além de Silvio, participaram da visita ao hospital os deputados Socorro Pimentel (PSL), Augusto Cesar (PTB), Julio Cavalcanti (PTB) e José Humberto (PTB). Na ocasião, eles também vistoriaram as obras de reforma da unidade, que deveria ter sido concluída desde 2014. Hoje, três andares do prédio do HSE estão desativados.

Um dos pontos mais preocupantes detectados pelos parlamentares é a falta de pagamentos do Sassepe às cooperativas e médicos conveniados, o que tem provocado o pedido de desligamento de vários profissionais. “Cooperativas estão deixando de fazer convênios e de prestar os serviços à população. Alguns hospitais da iniciativa privada, por exemplo, têm convênios com o Sassepe. É o caso do Hospital Português, no Recife, que parou de prestar o serviço aos conveniados por falta de pagamento. Alguns hospitais estão há alguns meses sem receber, e isto tem dificultado a operacionalidade do atendimento à população”, destacou Silvio.

Na última semana, o parlamentar também havia alertado da tribuna da assembleia para os impactos que a falta de repasses de governo estadual tem gerado no serviço de saúde dos servidores. O Sassepe atende hoje a 182 mil pessoas - 100 mil servidores e 82 mil dependentes. O Governo do Estado deve hoje ao sistema mais de R$ 25 milhões. “O Sassepe é financiado, desde sua criação, por 70% dos recursos provenientes dos servidores e 30% do Governo do Estado. O Estado tem de repassar, em média, cerca de R$ 8 milhões, mas está devendo ao sistema desde 2014. Na hora em que há o débito, a qualidade do serviço fica deteriorada”, pontuou.

Em aparte ao pronunciamento de Silvio Costa, a deputada estadual Priscila Krause (DEM) revelou que, coincidentemente, testemunhou um pedido de atendimento médico a um conveniado do Sassepe ser negado por falta de falta de pagamento.

Segundo a deputada, as dificuldades no Sassepe são apenas um exemplo da precariedade enfrentada pelo sistema público de saúde em Pernambuco. “O desafio é muito maior.  Os técnicos de enfermagem do Agamenon Magalhaes pararam hoje na frente do hospital, em protesto às condições precárias de trabalho e atrasos de pagamento. Temos informações inclusive de terceirizados demitidos”, informou.

Ainda em seu pronunciamento, Silvio chamou a atenção para o drama dos pacientes do HSE, que muitas vezes chegam ainda de madrugada ao hospital, mas voltam para casa sem ser atendidos. “Além de especialistas, faltam seringas, gases, o mínimo de insumos básicos”, denunciou.

Bancada de Oposição PE

Nenhum comentário:

Postar um comentário