terça-feira, 2 de outubro de 2012

Brasil é o quarto país mais perigoso para jornalistas, segundo ONG


O Brasil é o quarto país mais perigoso para jornalistas. É o que aponta a Press Emblem Campaign (PEC), organização não governamental que trabalha na proteção aos profissionais de comunicação espalhados pelo mundo. Segundo a ONG, foram registrados sete assassinatos de jornalistas no Brasil este ano. Em número de mortes, o país só fica atrás da Síria, que registrou 32 mortes, Somália (16) e México (10).

Ainda de acordo com a PEC, 107 jornalistas foram mortos em 2011. Só nos primeiros nove meses deste ano, foram 81 mortes. Em 2012, até setembro, foram registrados 110 assassinatos em 25 países, o que representa um número 36% maior do que o do mesmo período de 2011.

O secretário-geral da PEC, Blaise Lempen, diz que o número de assassinatos é recorde no período de nove meses e aponta a guerra civil na Síria como a prinicpal causa.

- Os combatentes, sejam do lado governamental ou do lado rebelde, transformam os jornalistas em um alvo mais. Esta é uma prática que condenamos energicamente - comentou.

Como o Brasil, o Paquistão também registrou sete mortes. Honduras ficou com a sexta colocação no ranking, com seis mortes, seguido da Filipina (5), Iraque (3) e Nigéria (3).

Pernambuco.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário