segunda-feira, 16 de junho de 2014

SECRETARIA DE CULTURA DIVULGA RESULTADO DO 7º EDITAL FUNCULTURA AUDIOVISUAL



Seleção contou com 370 propostas inscritas, das quais 119 foram aprovadas para receber
incentivo público.Os projetos resultarão em filmes, programas de TV, festivais, cursos e pesquisas.

Novos filmes, de curta e de longa-metragem, produtos para televisão, festivais, mostras, cineclubes, pesquisas, cursos e oficinas irão receber o incentivo público do Governo de Pernambuco, por meio do 7º edital do Programa de Fomento à Produção Audiovisual de Pernambuco – Funcultura Independente 2013/2014. Do total de 370 propostas inscritas, 119 foram selecionadas pelo Fundo Pernambucano de Incentivo à Cultura, que destina anualmente R$ 11,5 milhões para o setor audiovisual. O resultado está disponível no portal Cultura.PE - http://www.cultura.pe.gov.br/

Foram selecionados quatro projetos de pesquisa, dez de formação, 15 de difusão, 17 de curta-metragem (sendo 5 Ary Severo), 15 de produtos para TV, 25 de longa-metragem (sendo 6 para distribuição, 3 para finalização, 7 para produção e 8 para desenvolvimento de roteiro), 21 de cineclubes e 12 na categoria Revelando Pernambucos, destinada a projetos por Região de Desenvolvimento (RDs) do Estado, dos quais 6 são de curta-metragem e 6 de difusão.Veja a lista dos projetos aprovados em anexo.

“O cinema pernambucano está hoje espalhado pelos festivais e salas de cinema do mundo inteiro, em parte, por este edital que todos os anos lança no mercado produções de muita qualidade e diversidade. O Governo do Estado, através da Secretaria de Cultura, vem se empenhando para garantir as conquistas do segmento. Neste momento de anúncio de novos vencedores do edital, estamos ainda comemorando a aprovação da Lei do Audiovisual, que chega para impulsionar o audiovisual e criar bases para a transformação de Pernambuco num polo cinematográfico sem precedentes no Brasil”, comemora Marcelo Canuto, secretário de Cultura do estado.

SELEÇÃO - Os projetos aprovados passaram por três fases durante a seleção: análise documental, julgamento do mérito cultural e defesa oral. Dos 370 inscritos, 320 foram habilitados para o julgamento do mérito cultural, dos quais 148 foram selecionados para a fase final de apresentação oral das suas propostas. Apenas as categorias de Incentivo ao Cineclubismo e Revelando Pernambucos não são submetidas à defesa oral.

Os projetos foram julgados por grupos de especialistas com notório saber, indicados por entidades da classe audiovisual e pelo governo e aprovados pela Comissão Deliberativa do Funcultura. Participaram da indicação de pareceristas: a Associação Brasileira de Documentaristas/Associação de Produtores e Cineastas de Pernambuco (ABD/APECI), a Federação Pernambucana dos Cineclubes (FEPEC), a Associação de Produtores e Cineastas do Norte e Nordeste (APCNN), a Associação Brasileira de Cinema de Animação (ABCA), a Comissão Setorial do Audiovisual, além da própria Secult-PE e Fundarpe. Confira a lista dos especialistas responsáveis pelo julgamento em anexo.

“O processo de seleção de longas-metragens foi bastante prazeroso. Acompanhamos a produção audiovisual de Pernambuco há muito tempo, por isso não tivemos surpresa. Na verdade, confirmamos a qualidade dos projetos. Deparamo-nos com uma diversidade de propostas de cinema, o que demonstra que a força da produção de Pernambuco. Alguns projetos são muito maduros, tem uma urgência de nascer. É importante destacar que as propostas não contempladas apenas estavam menos amadurecidas, mas são projetos bons, que naturalmente devem ser selecionados nas próximas edições”, detalha Rodrigo Oliveira (ES), cineasta e crítico de cinema, integrante da Revista Cinética.

O produtor cultural Itamar Borges (GO) também fez uma avaliação positiva sobre a qualidade dos projetos. Borges é membro da Associação Brasileira de Documentaristas e Curtas Metragistas (ABD) e participou da seleção nas categoriasRevelando Pernambucos e cineclubes. “Os projetos são consistentes, tanto os do Sertão do Pajeú, quanto os do Agreste e da Zona da Mata. Esperamos que o Revelando Pernambucos seja um ponto de ebulição da produção do estado. Já a categoria cineclubes é uma paixão, porque é o começo de tudo, fomenta o público para ver filmes. Os projetos são maravilhosos, com linhas curatoriais interessantes”, conta Borges.

Já o grupo de especialistas em curta-metragem, formado por Analúcia Godoi (SP), Frederico Benevides (RJ) e Henrique Dantas (BA), destacou que a seleção “teve como norte a conexão das propostas com o fazer cinematográfico na sua diversidade de referências, assim como o domínio demonstrado pelos proponentes com seus universos a explorar. Entre os dois critérios, procuramos imaginar os filmes que estão em potência, descritos. Por tratar-se de um edital de curta-metragem, também foi levado em conta projetos que comportassem a existência do risco e da experimentação”.

Para garantir a transparência no processo de seleção, os proponentes de projetos não-aprovados poderão solicitar a súmula de julgamento com as médias das notas e resumo do(s) motivo(s) da não-aprovação, enviando e-mail à Coordenadoria do Audiovisual da Secult-PE: cinema.secult.pe@gmail.com.De acordo com o regulamento, as solicitações deverão ser feitas até 90 dias após a publicação do resultado do edital no Diário Oficial, e as respostas serão dadas num prazo de até 20 dias do pedido. Os e-mails devem informar no assunto “solicitação de súmula” acrescido do nome do projeto. A disponibilização das súmulas iniciou em 2010, atendendo à reivindicação do setor. A iniciativa contribui para a melhoria das propostas em outros certames e transparência do processo de julgamento.

LEGISLAÇÃO – Recentemente, o Governo de Pernambuco sancionou a Lei Nº 15.307, de 04 de junho de 2014, que disciplina a promoção, o fomento e o incentivo ao audiovisual no âmbito do Estado de Pernambuco e cria o Conselho Consultivo do Audiovisual de Pernambuco. A legislação representa mais um avanço na política do audiovisual implantada pelo Governo de Pernambuco desde 2007 a partir do diálogo com a sociedade civil. A lei foi aprovada pela Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe) e sancionada pelo governador João Lyra Neto.

CRESCIMENTO - O 1º Edital do Audiovisual, lançado em 2007, destinou o valor total de R$ 2.100.000,00 (dois milhões e cem mil reais), distribuídos entre 29 projetos. Em 2008, o edital destinou R$ 4 milhões para47 projetos. Em 2009, foram R$ 6 milhões para 61 projetos. Em 2010, o edital R$ 8 milhões para 82 projetos. Em 2011, o edital alcançou o valor de R$ 11,5 milhões, distribuídos entre 103 projetos. Em 2012, o valor foi mantido, beneficiando 112 projetos.


Fonte: Secretaria de Cultura de Pernambuco
Crédito da Foto: Costa Neto/Secult

Nenhum comentário:

Postar um comentário