segunda-feira, 24 de setembro de 2012

Falando Francamente: Festa da democracia ou tragédia da democracia?

Minha foto"Confesso que já pensei em mudar meu rumo, meu foco. E adotar outro seguimento nesta minha empreitada como comunicadora.
Sinto-me as vezes falando utopias, gritando num vazio de emoções e argumentos insanos, querendo fazer o já brilhante reluzir. Porém, o já brilhante da incoerência e do equívoco. Me refiro ao que chamam hoje de política e democracia. Política na essência é algo que traduz muito bem a palavra amor. Onde temos cravado na história do Brasil a lembrança do presidente da república Getúlio Vargas, que disse em carta de despedida ao decidir tirar a própria vida:

"Ao ódio respondo com perdão. E aos que pensam que me derrotam respondo com a minha vitória. Era escravo do povo e hoje me liberto para a vida eterna. Mas esse povo, de quem fui escravo, não mais será escravo de ninguém.
Meu sacrifício ficará para sempre em sua alma e meu sangue terá o preço do seu resgate.
Lutei contra a espoliação do Brasil. Lutei contra a espoliação do povo. Tenho lutado de peito aberto. O ódio, as infâmias, a calúnia não abateram meu ânimo. Eu vos dei a minha vida. Agora ofereço a minha morte. Nada receio. Serenamente dou o primeiro passo no caminho da eternidade e saio da vida para entrar na história.”-versão datilografada. 


Naquele ano o então presidente, externava que já lutava com raposas famintas de poder e já não suportara ver seu eu e seu país serem as presas.

Isso se deu em 1954. Hoje, parece que a situação fugiu do controle e a conduta de política e democracia foram trocadas e tomam conta de nossa pátria como uma chaga que assola a humanidade. O que será do futuro com crianças e jovens aflorando no século XXI o significado destas duas palavras deturpadas? Antes política era o retrato de cidadãos com ideais verdadeiros(em sua maioria), de pessoas na labuta por uma sociedade de fato mais justa e mais igual, ou melhor menos desigual.


E assim, as pessoas defendiam a justiça e a igualdade dentro de valores que elas julgavam ser essenciais exercendo então, a tal democracia.


Quando se fala em democracia o que me vem em mente é: direito de escolha, ir e vir, liberdade de expressão. Os idealistas políticos externavam seus argumentos e se a maioria se convencesse...Daí então os idealistas que não conseguissem o feito, seguiam na luta, fiéis a seus ideais com argumentos sérios e verdadeiros, na esperança de num bom futuro fazer prevalecer suas idéias e ideais. Tuda ação baseada em argumento respeitoso.


Porém hoje, não é o que temos visto. Política hoje raramente NÃO é um jogo de interesses pessoais, onde cada um vê e almeja somente suas próprias vantagens. Somos o único país em que se paga salário a vereador. Será que se não houvesse um gordo salário haveriam o mesmo número intenso de candidatos apenas por amor a causa? Ha ha ha ha ha...Disse raramente porque existem exceções, idealistas focados em um país decente e imaginamos como estes devem sofrer decepções nos tempos atuais, se ele não tiver dinheiro pra gastar na campanha então coitado...


Uma "política" que dá nojo, vazia. Discursos sem consistência e questionamentos, argumentos inúteis e sujos. É pintinho amarelinhos aqui, pinóquio pra lá, quem vai ser a primeira dama real se o candidato "A" for eleito, ou se o candidato "B" eleger-se irá chamar a amante do seu antecessor de tia e por aí vai. Não sei o que é mais trágico, se são eles em cima do palanque ou o povo embaixo eufórico, vibrando com tanta futilidade que em nada, absolutamente nada, fará diferença no progresso de nossa cidade.


Até as músicas da campanha exceto pelos ritmos que contagiam, confesso, mas pelo conteúdo de suas letras verdadeiros lixos em sua maioria: novamente o tal pinto amarelo fujão, se não aguentar corra, vai ser na moleira(que é ótima pra dançar confesso de novo),ah tem até um funk(amo funk) que só fala o número do candidato do início ao fim (letra profunda óhhh), porém, embora os ritmos sejam bons não estamos no carnaval e em nenhum espetáculo de comédia. As músicas não falam de história, futuro, projetos assim como muitos discursos sem conteúdo.


O momento é sério, daqui a menos de duas semanas estaremos decidindo os próximos 4 anos! É a festa da democracia! Ops! Festa da democracia Dani? Estamos mais para tragédia da (falsa)democracia, onde determinado grupo político se vê tomado pelo desespero ao sentir pela primeira vez, o amargo sabor da derrota e agora O SEU! barco afundando, tenta em vão amedrontar o povo que ao que parece já decidiu o que quer. Já estamos vendo a hora caso providências não sejam tomadas, de perdermos vidas por conta desse "momento democrático" em que escutamos ao que vemos hipocritamente que política não se empurra goela abaixo.


Ontem, domingo(23) mais um homem foi espancado e até ontem estava no CTI vomitando sangue. Recentemente quase viraram um carro por estar adesivado com a foto do adversário, o patrimônio de um dos candidatos foi danificado. Isso tudo, só na cidade do Carpina. Na cidade de Vicência a festa da democracia teve direito a facada.


Lhes pergunto: Será que conseguiremos resgatar os antigos valores? Infelizmente creio que não, até porque tais tribulações e aflições são bíblicas. A justiça deste mundo tende a ser engolida. O mais triste nisso é que muitos dos verdadeiros idealistas políticos perderam as esperanças e recusam-se a um pleito para não macularem sua moral.


Também...o que esperar de uma campanha onde o líder com uma tremenda cara de pau aconselha os seus candidatos a vereadores a mentirem através de falsas promessas ao povo para se elegerem?


Danielle Nurse      




Nenhum comentário:

Postar um comentário