quarta-feira, 8 de agosto de 2012

SINSEMUC - Em Carpina a luta continua pelo tão sonhado piso salarial dos professores


Confira programação para os próximos dias

Como já estava marcado aconteceu hoje pela manhã(08/08) na frente da sede do SINSEMUC em Carpina a assembléia com os servidores municipais para decidir diretrizes a serem tomadas para a regularização do recebimento dos direitos dos professores e demais.

Ficou estabelecido a seguinte:


  • Assim como hoje, amanhã(09/08), quinta-feira, não haverá aula pois os servidores estarão seguindo para o TJPE às 9:30h da manhã para manifesto.
  • Sexta-feira(10/08), aula normal.
  • Segunda-feira(13/08), terça-feira(14/08), quarta-feira(15/08), aula normal.
  • E na quinta-feira(16/08), não haverá aula, dia este que irá acontecer uma audiência no Ministério Público/PE, com o gestor do município do Carpina, excelentíssimo prefeito Manuel Botafogo, a Secretária de Educação do município, Srª Suzana Aquino, Promotora, Sindicato e Comissão dos professores. É nesta audiência que será decidido se haverá retorno da greve ou não.
Registro: O município de Carpina conta com cerca de seiscentos(600) professores, mas apenas cento e cinquenta(150) compareceram a assembléia de hoje sendo registrado em ata. Fato lamentável, como venho registrando constantemente não só aqui mas também no Programa Falando Francamente, talvez se houvesse mais união, atitude, coragem essa causa já teria sido ganha.
Cada um com seus motivos e desculpas...
Dani Nurse.

3 comentários:

  1. Dani, não sou professora, mas acompanho a situação de vocês nessa luta. É como você falou mesmo, se houvesse mais coragem, a luta já teria sido ganha!

    ResponderExcluir
  2. Ao contrário do que muitos possam pensar a luta dos professores não se limita a questões salariais. Esta é uma visão estreita e debil da lei, da sociedade e da educação. A lei do piso foi criada e aprovada no fundamento de que o reconhecimento e valorização dos educadores são um dos elementos básicos para promover uma educação de qualidade(direito de todo brasileiro inclusive das crianças de Carpina). Ocorre que os políticos (não todos, só os maus)querem fazer do piso (que é o mínimo a ser pago) o teto demonstrando quão pouco interesse, respeito e compromisso têm pelos educadores mas, principalmente, pela educação e por seus filhos. Troquem os R$ 120,00 ou R$ 200,00 prometidos pelos maus políticos por uma educação de qualidade que irá permitir um futuro melhor. Promessa por promessa essa pelo menos é. HONESTA.

    ResponderExcluir
  3. DANI

    EM QUEM A PRESIDENTE DO SINSEMUC VAI VOTAR AGORA, JÁ QUE CHARLES MEIRA É FICHA SUJA?

    ResponderExcluir