quarta-feira, 23 de outubro de 2013

Sessão que discute Emenda Modificativa que iria impedir a reeleição da mesa diretora da Casa Legislativa do Carpina termina em barraco


O Presidente da câmara Tota Barreto fez revelações.
Por muito pouco não houve agressão física nos bastidores

Noite de terça-feira (22/10) em Carpina, câmara de vereadores lotada pela população carpinense que queria assistir o desenrolar de Emenda Modificativa nº 002/13 de autoria dos vereadores Capitão Marcelo, Marcelo Pascoal, Júnior de Salete, Jorginho Lapa e Zezé Saúde que impede a reeleição da mesa diretora entre elas a reeleição do presidente.
Quando os vereadores ocuparam suas cadeiras podia se ver no semblante do presidente daquela casa, Tota Barreto, um sorriso nos lábios e a tranquilidade. De repente a notícia que pegou toda a população e os vereadores de surpresa: a vereadora Zezé Saúde que diz ter recebido direção de Deus retirou seu nome da Emenda e a mesma só poderia ser discutida com cinco assinaturas. A vereadora disse que não há porque impedir de alguém se recandidatar a reeleição e quem não for de acordo simplesmente não dá o seu voto. Com a notícia deu-se então o início de uma lavagem de roupa suja, que começou com o vereador Capitão Marcelo e Júnior de Salete que disseram na câmara reger o regime de ditadura. O plenário entrou no clima, começaram os manifestos e o rebuliço começou. Por mais que o Presidente da casa pedisse silêncio, não foi atendido. Ele escutava as críticas atentamente.

Direcionando suas palavras ao presidente Tota Barreto o vereador Júnior de Salete disse que o presidente fala demais da gestão passada daquela casa, dizendo a todo tempo que a mesma cometeu falhas e dando a entender que o presidente está sendo ingrato pois foi essa mesma gestão que ele critica que implantou  o direito a reeleição da mesa diretora beneficiando hoje então o atual presidente.  Irritado o vereador causou histeria ao dizer que só não rasgaria o regimento interno da câmara, que segundo ele não está valendo de nada, ali naquele momento em respeito ao povo.
O vereador Capitão Marcelo causou polêmica ao fazer uso da tribuna e além de também chamar o regime de ditador, disse que irá na sua igreja Assembléia de Deus colher assinaturas para fazer valer a emenda. Vereadores a favor da reeleição a começar pelo vereador Dr. Marinaldo Santos rebateram dizendo que ditadura é impedir que haja direito a reeleição e censuraram o vereador Capitão Marcelo por envolver o nome da igreja.

O vereador Jorginho Lapa não ficou de fora e também revoltado acusou o presidente de impor um regime ditador, disse que irá renunciar ao cargo de 1º secretário em breve já que segundo ele tem sido um mero figurante pois as atribuições que eram para lhe ser dadas não estão sendo. Ele disse ainda que irá exigir a prestação de contas da câmara que não aconteceu até os dias de hoje.
Após ouvir atentamente todas as duras acusações contra sua pessoa, o presidente da casa, Tota Barreto pediu que o 1º secretário, vereador Jorginho Lapa assumisse a presidência pois o ele iria usar a tribuna já que havia sido citado. O vereador Capitão Marcelo não aceitou, deu as costas ao presidente abandonando a sessão e arrastou ainda os vereadores, Marcelo Pascoal, Cláudio do Gesso, Júnior de Salete  e Jorginho Lapa que encerrou a sessão repentinamente causando verdadeiro alvoroço. 

O presidente Tota reabriu a sessão em meio a gritos e manifestos e na tribuna chamou os vereadores que não quiseram escutá-lo de covardes, e terminou dizendo que o vereador Jorginho tem fama de preguiçoso, que a primeira dama do município Alberice Mendes tentou prejudicar a vereadora Zezé Saúde, que foi defendida por ele, e acusou o capitão Marcelo de tentar subornar o vereador Irmão Zezinho na época da eleição para a presidência da câmara pondo em cheque seu caráter evangélico.
Com isso Carpina assistiu de camarote a mais conturbada sessão de todos os tempos, sessão esta que segundo informações quase terminou em "quebra-pau" nos bastidores quando o presidente ainda no início da sessão suspendeu a mesma por cinco minutos.






Capitão Marcelo disse que irá colher os votos dos jovens nas escolas e na igreja Assembleia de Deus



Jr. de Salete causa rebuliço ao afirmar que só na rasgaria o regimento interno ali naquele momento em respeito ao povo

Vereador Marinaldo é um dos vereadores que defende a disputa pela reeleição da mesa diretora


Vereador Jorginho Lapa diz que sua função de 1º secretário não é respeitada e irá renunciar
Vereador Cap. Marcelo dá as costas ao presidente Tota Barreto e abandona a sessão

Ao reabrir a sessão o presidente da câmara Tota Barreto se defende e faz revelações

Nenhum comentário:

Postar um comentário